OS MOMENTOS MAIS DIFÍCEIS DE ESCOLHER O AMOR

O autor de "O Assento da Alma" e co-fundador do "Instituto Alma" nos mostra por que desespero a raiva e o ciúme podem levar a um crescimento espiritual significativo

O escritor Gary Zukav
Os momentos mais difíceis para escolher amor são, na maioria das vezes, aqueles que nos ajudam a crescer espiritualmente. Na verdade, eles são as únicas vezes que você pode crescer espiritualmente! Quando você está com raiva, ciúmes, impaciente ou guardando rancor, uma parte de sua personalidade que não tem interesse em amor é ativo em você. Esta parte não está interessada em outras pessoas. Não está  interessada nem mesmo em você. Tudo que deseja é apenas vencer o embate que se propõe: Isto significa ver a derrota de quem lhe atingiu; o fracasso daquele (ou daquela) que a rejeitou ou vencer as opiniões contrárias. 

Estas é o chamado "sucesso das experiências negativas": quando sua personalidade lista a derrota alheia como um sucesso pessoal. Mas esta é a pior coisa que se pode fazer a si mesma; escolher a raiva e o rancor ao invés do amor. As peças de sua personalidade não têm dificuldade em amar. Isso é tudo o que elas fazem. Você experimenta as peças amorosas de como gratidão, apreço, carinho, paciência, contentamento e admiração de vida. Eles são pólos opostos das partes assustados de sua personalidade. Eles estão interessados ​​em outras pessoas. Eles amam outras pessoas. Eles estão interessados ​​em você, e eles também te amam. 

Quando você experimentar uma parte amorosa de sua personalidade, você conseguirá amar as outras pessoas e saberá gostar mais de si mesma. A pergunta é: como você pode ter a experiência de uma parte amorosa de sua personalidade quando uma parte rancorosa de sua personalidade está ativa? O primeiro passo é distinguir a parte amorosa de sua personalidade que está ativa das peças "assustadas" de sua personalidade, que são ativos em outras palavras, para aprender a distinguir o amor do medo em você . O segundo passo é escolher o amor, não importa o quê. Quando você escolhe amar de novo e de novo, mesmo quando a parte rancorosa de sua personalidade está ativa (por exemplo, você está com raiva, ciúmes, em desespero etc), esta parte perde seu poder. 

Não que a dor desapareça. Ela persiste e ainda dói, mas não impede o interesse em outras pessoas ou mesmo em você própria. E, a isto, pode chamar de amor-próprio, que é o primeiro passo para se recuperar de uma dor amorosa e caminhar adiante, em busca de uma nova fase de sua vida. Cada vez que você escolher não parar sua vida pelo medo ou pelo rancor cria uma tendência de crescimento espiritual. A "parte rancorosa" de sua personalidade aparece com menos freqüência e com menos intensidade, e a parte amorosa enche mais e mais sua consciência. 

Eventualmente, a "parte rancorosa" de sua personalidade perde sua influência sobre você inteiramente, e apenas a "parte amorosa" permanece. Quando isso acontece, a inveja, o ressentimento, a inferioridade e a superioridade deixam de ser obstáculos maiores para o seu crescimento espiritual. São oportunidades para isso! Elas são largas avenidas que levam exatamente para onde você quer ir, para satisfação e alegria, atenção e liberdade, se você optar por levá-los. Por isto digo que os momentos mais difíceis de se escolher o amor acabam se tornando aqueles em que você pode crescer espiritualmente. Na verdade, eles são os únicos momentos em que você pode crescer espiritualmente! 
 Gary Zukav
A partir do Site Oprah. Leia no original

Postar um comentário

0 Comentários