SIMPLESMENTE AMOR: HISTÓRIAS QUE SE CRUZAM



Ontem eu assisti pela quinta ou sexta vez o filme "Simplesmente Amor (Love Actually)", de 2003. Não sei se vocês conhecem, mas ele conta a história de 8 pessoas que moram em Londres e que vivem histórias de amor de diferentes formas, a maioria delas até se cruza em algum momento. Tudo acontece nas semanas que atentecedem o Natal e na noite de Natal em si. O filme é lindo, um dos meus preferidos. Reúne nomes como Colin Firth, Hugh Grant, Emma Thompson, Keira Knightly, Rodrigo Santoro, entre outros. Eu gosto muito da sensibilidade em histórias comuns, cotidianas: o amor entre amigos, a abdicação do amor, o amor maduro, o impossível, o platônico, o recém-descoberto....

De todas as histórias do filme, as que mais gosto são a do Colin Firth (amo) e a sua ajudante. Ele escritor inglês, ela portuguesa. Ele se refugia numa casa na França para escrever um livro e lá ela é a pessoa que está empregada como ajudante no tempo em que ele permanece na casa. Eles não se entendem porque não falam a mesma língua. Mas ainda assim conversam e, sem saber, estão quase sempre dizendo a mesma coisa um ao outro. E se apaixonam mesmo assim. As cenas são super sensíveis.



A segunda é a do rapaz que se apaixona pela noiva do melhor amigo (Keira Knightly). Em silêncio, ele filma o casamento dos dois. De volta da lua de mel, a esposa do amigo pede para ver a filmagem. Ele disfarça, tenta se esquivar, mas é obrigado a exibir o filme. Para o espanto da moça, o filme só tem imagens dela na festa, closes, lances lindíssimos que ele captou durante a cerimônia e a festa, editados com músicas lindas de fundo. Ela então percebe que ele é apaixonado por ela e por isso mal lhe dirigia a palavra quase sempre. Na noite de Natal, mais uma vez em silêncio, ele buzina em sua porta e faz uma declaração de amor através de cartazes, para não chamar a atenção do amigo. Um declaração consciente de que o amor entre eles é inviável. Cena linda!




Eu adoro histórias de amor. E quando amo um filme, assisto muitas vezes! Sempre levanto mais leve do sofá.

Liana Barros
A paretir do blog Intuitif. Leia texto original

Postar um comentário

0 Comentários