O AMOR FOI ASSASSINADO

– Ali, exatamente naquele local, o Amor foi assassinado – disse o velho camponês, apontando para uma pequena ermida encravada nas rochas.

(...)

– Faz muitos séculos, uma princesa que fazia o Caminho de Santiago, Felícia de Aquitânia, resolveu renunciar a tudo e ficar morando aqui, quando voltou de Compostela. Era o verdadeiro Amor, porque dividiu os seus bens com os pobres da região e cuidava dos enfermos.

(...)

“Então seu irmão, o Duque Guillermo, foi mandado pelo pai para levá-la de volta. Mas Felícia recusou. Desesperado, o duque apunhalou-a dentro da pequena ermida que você vê ao longe, e que ela construíra com as próprias mãos, para cuidar dos pobres e louvar a Deus”.

“Depois que caiu em si e percebeu o que havia feito, o Duque foi a Roma pedir perdão ao Papa. Como penitência, o Papa o obrigou a peregrinar até Compostela. Foi então que algo curioso aconteceu: na volta, ao chegar aqui, ele sentiu o mesmo impulso e ficou morando na ermida que a irmã havia construído, cuidando dos pobres até os últimos dias da sua longa vida”.

Trecho do livro "O Diário de um Mago", de Paulo Coelho

Postar um comentário

0 Comentários