BEIJO RUIM PODE FRUSTRAR RELACIONAMENTO

Pesquisadores americanos andaram se debruçando sobre um tema amplamente testado por leigos: o beijo. E as conclusões dos estudos indicam - o que também muitos leigos já presumiam - que ato desencadeia uma série de reações químicas importantes para o início do amor entre os casais. Por outro lado, em alguns casos, um beijo mal dado pode acabar com o início de um romance. Os estudos foram debatidos durante a reunião da Associação Americana para o Avanço da Ciência, em Chicago, nos Estados Unidos.

Para a antropóloga Helen Fisher, da Universidade de Rutgers, em Nova Jersey, o beijo consiste em 90% das atividades sociais humanas. "É um mecanismo de avaliação do companheiro", afirmou. Já a pesquisadora Wendy Hill, do Lafayette College, na Pensilvânia diz que o beijo é o gesto responsável por promover a criação de laços afetivos fortes e por conseqüência leva á diminuição do strress. Sua pesquisa mostra a produção da oxitocina - hormônio ligado aos sentimentos do prazer sexual -, em relações amorosas. A oxitocina foi descrita como um fator que diminui o hormônio do stress (cortisol).

Na pesquisa, 15 casais heterossexuais, com idades entre 18 e 22 anos, foram dividos em dois grupos: o primeiro, orientado a se beijar em uma sala do centro de saúde da instituição, e o segundo, a dar as mãos para conversar durante 15 minutos. Amostras de sangue e saliva foram coletadas em meio à pesquisa para registrar a quantidade de hormônios circulando pelo corpo.

No grupo que se beijava, tanto homems quanto mulheres apresentaram declínio nos níveis de cortisol. Constatou-se também que a taxa de oxitocina aumentou no sexo masculino - indicando maior interesse na relação -, mas diminuiu no sexo feminino. A pesquisa ainda está em andamento, e a coordenadora Wendy Hill diz que pretende avaliar outros fatores que podem influenciar o beijo, como ambiente, nas próximas fases.


Postar um comentário

0 Comentários