AMORES CIGANOS

Amores que bailam
Chegam e partem
Seguem amando em abrigos itinerantes
Deixam marcas
Apagam rastros
Perfumam fogueiras
Alumiam estrelas
Explodem sentidos
Aquecem ilusões
Carregam afetos
Desarmam imprevistos
Anoitecem abraçados
Amanhecem alados

Amores ciganos libertam sem culpa
Sensualidade profana
Ância sagrada
Desejos adormecidos
Dançam e laçam
Cantam e tatuam
Choram sozinhos

Amores ciganos abandonam sem ritos e despedidas
Deixam saudades
Nada levam

Amores ciganos acolhem na chegada e desmembram na partida
Um dia inteiros, no outro lembranças.

Soraia Maria Lopes Martins

Postar um comentário

0 Comentários