EM SUA PRIMEIRA NOITE, GAROTA DE PROGRAMA ENCONTRA O AMOR

Imagem : sxc-hu
Minha história, começa em abril de 2000, quando num desespero financeiro eu decidi que viraria garota de programa. Comprei um jornal, e lá encontrei um anúncio que estavam recrutando moças para serem garotas de programa na Rua Augusta, uma rua de prostituição em SP. Eu fui ate o endereço indicado, e conheci uma moça que me disse que eu começaria naquele mesmo dia, me pediu que eu fosse pra casa, me arrumasse e a encontrasse as 20:00 para juntas chegarmos a Rua Augusta. Era um sábado,  estava calor, e meu coração estava quase saindo pela boca. Eu estava desesperada com aquela situação, o medo era enorme, pois eu nunca havia feito aquilo e naquele momento eu já não sabia mais se queria fazer, mas o meu problema financeiro era bem grande, então fechei os olhos e entrei em uma boate com ela. 

Estava tudo escuro, as luzes coloridas afetavam minhas vistas e logo na entrada sem olhar para os lados eu peguei na mão dele. Ele segurou firme a minha mão. Já estava de saída com os amigos, mas ele simplesmente voltou e pediu para que subíssemos para o quarto. Juro que naquele momento ao seu lado eu não senti medo, sentia-me segura, subimos, era meu primeiro programa, e tudo foi como se já nos conhecêssemos há anos. Parecia que éramos namorados, não sei explicar. Ele me perguntou o que estava fazendo naquela boate, com apenas 18 anos e ele com 32. Disse da minha divida e imediatamente ele se propôs a pagar, para que eu não voltasse mais lá. Naquela noite ficamos juntos, ele pagou a boate por ter passado a noite comigo, e me deixou seu telefone.

Passávamos horas conversando como se não tivesse havido nada de incomum em nosso primeiro encontro. Logo ele me disse que era casado e, sinceramente, não me importei. Afinal, me dava muita atenção, foi ate em casa, conheceu meus pais, pagou minha dívida, me fez voltar a estudar e por fim se separou da esposa. Fomos até a Aparecida do Norte agradecer por estarmos juntos, ficamos durante um ano muito bem e, numa briguinha corriqueira, ele sofreu um acidente de moto. 

Quase enlouqueci. Lembro que naquela ocasião fiquei com ele no hospital, dei banho, corri para todos os cantos e no dia da sua alta, foi uma grande alegria. Era um sábado, o dia estava lindo. Fomos para a casa da mãe dele e passamos o dia lá. Ele ainda estava convalescendo  e então, à noite, fui embora. Durante dias eu ia pra casa da mãe dele passar os dias e, num desses dias, ele ainda estava dormindo. Fiquei na sala com seu sobrinho e ele me disse que a tia dele estava passando as noites lá. Fiquei louca de raiva, chorei, briguei e fui embora. 

Nesse dia acabou tudo, nos nos separamos, ele voltou para a ex mulher, e de vez em quando conversamos por telefone ou e-mail. O tempo foi passando, ela engravidou, e fui me afastando. Passados oito anos e a gente se reencontrou, em 2012. Era 15 de outubro e passamos a tarde juntos. Fizemos juras de amor e ele me pediu que o esperasse, que esperasse seus filhos (hoje dois)  crescessem. Prometi que sim. Ficamos por 5 meses juntos, até que em março de 2013 ele disse que não queria mais. Ele fala que somos almas gêmeas, porém não tem paz, se estamos juntos ele não tem paz. Isto porque, quando vamos cada um pra sua casa ou quando estamos separados, ele não tem paz.

Sei que nos amamos muito, sei também que não vamos ficar juntos, não nessa vida... Sofro, choro. Às vezes me sinto incapaz de fazer as coisas sozinha, mas sei que devo caminhar. Às vezes penso que as coisas poderiam ser mais depressa, tipo a morte, mas não sou eu quem decide isso. Em algum lugar, algum dia. sei que estaremos juntos...

Eu o amo com toda a minha alma, e sei que é recíproco...

Depoimento anônimo

Compartilhe no Google Plus

Sobre Editor

Esta não é uma página pessoal. Todo o material é compilado por uma equipe de colaboradores, coordenada pela editora Ana Carolina Grignolli, jornalista especializada em comportamento.
    Deixe seu comentário
    Comente no Facebook

3 comentários :

  1. EU NÃO GOSTO DE FALA SOBRE ISSO POS TIVE UM AMOR QUE PENSEI SER VERDADE MAIS NÃO ERA POIS HOJE EM DIA ELE DIZ AMAR OUTRA PESSOA .
    E EU AINDA AAMO COMO SE-FOSSE HOJE.
    OS 12

    ResponderExcluir
  2. eu sofro muito pos tambem amor alguem mais infelismente não posso estar com ele eu sei o que e isso,muitas vezes ate pensso que vou enlouquese,so queria que não existise amor pos seria mas facil viver.

    ResponderExcluir
  3. Minha história é idêntica com excessão dá forma que nos conhecemos, pela internet. Já se foram 14 anos e vivo os mesmos problemas, promessa, desilusões e amor...

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

REGRAS PARA COMENTÁRIOS:

O espaço de comentários do Blog Amor de Almas é essencialmente livre, mas pode ser moderado, tendo em vista critérios de legalidade e civilidade. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. são aceitos comentários anônimos, contanto que não infrinjam as regras acima.

A REDAÇÃO:

1. não se responsabiliza pelos comentários dos frequentadores do blog;
2. se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas Regras ou às normas legais em vigor;