COMO ACONTECE A 'QUÍMICA DO AMOR'

Os apaixonados têm um aumento de certas  substâncias no organismo

Você certamente já ouviu a frase: "Rolou uma química entre nós!" ou "Será que existe mesmo uma explicação científica para o amor?" ou ainda "Afinal, o amor tem algo a ver com a Química?". Na verdade o amor é Química, explica o professor Wagner Felix da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), durante palestra no XXXI Encontro Nacional dos Estudantes de Química (Enequi), que acontece até sexta-feira, na Cidade Universitária. 

Com a palestra Química do Amor, ele explica que, quando uma pessoa está apaixonada, ela sente diversos sintomas como as mãos suando, coração acelerado, respiração ofegante, entre outros. Quando estamos apaixonados, nosso corpo produz uma série de substâncias químicas que fazem com que nos sintamos diferentes. 

A Dopamina, Feniletilamina, Oxitocina são as substâncias relacionadas às manifestações do amor. De acordo com os estudos, os feromônios produzem reações químicas que resultam em sensações prazerosas. “À medida que vamos nos tornando dependentes, a cada ausência mais prolongada nos dizemos ‘apaixonados’ devido à ação da dopamina. Os homens são mais susceptíveis à ação dessas substâncias e, por isso, se apaixonam mais fácil que as mulheres, porém também se desapegam mais facilmente”, explica o professor. 

Segundo ele, o amor por definição é inexplicável, ou seja, a pessoa simplesmente ama, e o que a química tenta explicar é o aumento da concentração das substâncias que são comuns quando as pessoas estão apaixonadas. “Quando a relação esfria, é porque diminui a concentração dessas substâncias no nosso organismo, e por algum motivo o cérebro não foi estimulado a produzir estas substâncias. Mas nada nos impede de nos apaixonarmos mais de uma vez pela mesma pessoa”, afirma. 

Reações

Na química do amor, a dopamina produz a sensação de felicidade e a adrenalina causa a aceleração do coração e a excitação. No desejo sexual entre um casal, a atração física é estimulada pela produção do hormônio noradrenalina, quando os corpos experimentam reações químicas em comum. Com o passar do tempo o organismo vai se acostumando e adquirindo resistência, e é nesta fase que são produzidos os hormônios ocitocina e vasopressina, responsáveis pela sensação de bem estar em uma relação estável, duradoura e segura.
A partir da UFMA. Leia no original
Compartilhe no Google Plus

Sobre Editor

Esta não é uma página pessoal. Todo o material é compilado por uma equipe de colaboradores, coordenada pela editora Ana Carolina Grignolli, jornalista especializada em comportamento.
    Deixe seu comentário
    Comente no Facebook

1 comentários :

  1. Que legal........... como é bom estar apaixonada...rsrs preciso de um namorado! :P

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

REGRAS PARA COMENTÁRIOS:

O espaço de comentários do Blog Amor de Almas é essencialmente livre, mas pode ser moderado, tendo em vista critérios de legalidade e civilidade. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. são aceitos comentários anônimos, contanto que não infrinjam as regras acima.

A REDAÇÃO:

1. não se responsabiliza pelos comentários dos frequentadores do blog;
2. se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas Regras ou às normas legais em vigor;