Imagem por Millzero Photography
"Achei esse site buscando textos que falassem sobre amores de outras vidas. Achei muito interessante os depoimentos das pessoas, vejo que não sou a única a ter dúvidas em relação a sentimentos amorosos.

Minha história, começa em 2000, quando tinha 16 anos. Fiquei com um rapaz, em um 'lazer de comunidade', pois na época eu e ele éramos católicos, e como tal, sempre participávamos de eventos, que terminavam em confraternização. Ficamos juntos nesse dia. Na época achei que foi por acaso, mas hoje tenho outra visão em relação a isso.

Tudo não passou de uma tarde de verão, até por que ele tinha namorada há cerca de um ano e meio, a qual morava em outra cidade. Não dei muita importância, pois, não tinha nenhuma pretensão de continuar com ele. Enfim... acabamos nos distanciando por alguns meses, até que ele terminou com a namorada e por uma certa influência da prima dele, que era minha amiga, acabamos nos acertando. No dia 03 de dezembro de 2000 deu-se inicio a nossa história.

Diferente de todas as histórias de amor, começamos com muitas brigas, ciúmes, traição, por parte dele, mas mesmo assim eu não conseguia me separar. Sempre pensei que relacionamento deveria ser para sempre. Passaram-se três anos, até o retorno da antiga namorada, que surgiu em nossas vidas, enchendo o coração dele de vaidade e talvez até amor. Até então, não sabia se eu o amava e acho que ele também tinha as mesmas dúvidas. 

Nos separamos por dois mês, confesso que sofri muito. A rejeição, o desrespeito e como tudo aconteceu, me fez sentir traída de todas as formas. Ainda assim, continuei lutando pelo amor deste homem, até que um belo dia resolvi desistir. E, então, as coisas começaram a mudar. Ele que veio atrás de mim e, por amor, retornamos.

Foram anos mais calmos, apesar de alguns 'deslizes'. A partir daí, passei por momentos difíceis com a minha família, que se resume a minha mãe e meu pai; não tenho irmãos nem irmãs; meu pai era filho único e minha mãe não tem parentes no estado que moro. Meu pai bebia muito e isso acabou com a nossa família, até que sofreu um acidente e ficou internado, em coma, por dois  meses, falecendo em fevereiro de 2008. Nesse período, quem estava ao meu lado o tempo todo foi meu namorado, 'Pedro', que me ajudou a todo o momento.

Mas, no ano de  2006, conheci um rapaz. Morávamos no mesmo bairro e o encontrava pelo caminho. Achava-o muito atraente, nada que mudasse minha vida, até porque achava que não era um sentimento recíproco. Mas. com o tempo, fui percebendo que tínhamos muitos amigos  em comum, e de forma natural comecei a vê-lo em lugares que antes nem notava. Por meio da internet acabei tendo o primeiro contato. Pra mim foi inacreditável, pois não imaginava que um dia iria poder conversar com aquele rapaz. Trocamos e-mails e conversamos por um tempo, até que ele me convidou para conhecer os poemas que tinha feito (ele canta  e escreve). 

Por um instante fiquei com medo. Até então, achava aquilo perigoso, pois tinha medo do que poderia acontecer. Eu que sempre abominei traições, nem bem sabia que iria cometer tal ato. Aceitei e fui. Ele não estava só, morava com avó que estava no recinto. Me mostrou as músicas, os textos e me chamou para ver a laje da casa. Sabia que existia segundas intenções, mesmo assim não resisti e acabei indo. Nossa! Acho que nunca vou sentir o que senti naquele momento, foi uma explosão de sentimentos, de desejos, de vontades, algo que nunca senti por ninguém nem mesmo 'Pedro', com quem estava já há sete anos. Nossos corpos tremiam de uma maneira que é difícil explicar.

Podia sentir o coração dele bater junto ao meu. Daí foi questão de dois dias para estarmos juntos em um motel. No primeiro dia me senti culpada, tinha medo;, mesmo assim queria correr os riscos, até que ele me contou que estava indo embora para outro estado e que iria deixar aqui um namorada. Fiquei arrasada, mas estava disposta a jogar meu relacionamento fora, mas ele não me chamou para companhá-lo. Desejei apenas felicidade e sorte, e voltei para meu relacionamento turbulento: era o que eu tinha.

No final de 2007 meu pai ficou doente e morreu em fevereiro de 2008, mesmo ano em que 'Marcos'  voltou para cidade e casou-se com a sua antiga namorada. Foi um ano difícil, mas o improvável veio acontecer. 'Marcos' me procurou, dizendo que não tinha me esquecido e no fundo eu também não. É absurdo dizer isso, mas fizemos amor, mesmo ele estando em lua de mel e eu passando por um situação tão tensa e complicada com a morte de meu pai. Uma semana depois, 'Marcos' foi embora e a minha vida voltou aos 'eixos', só que dessa vez não perdemos o contato. Nos comunicávamos por rede social até que me decepcionei com suas mentiras e me afastei.

No final de 2009, 'Marcos' volta e me pede perdão e eu ainda sentia algo inexplicável. 'Pedro' não me passava segurança, gostava de sua companhia e tivemos momentos felizes e não foram poucos, mas no fundo sempre me senti triste. Porque não me sinto feliz! Quantas vezes me fazia essa pergunta. Eu e 'Marcos' nos comunicávamos por telefone, até que um dia o 'Pedro' descobriu. Foi horrível. Brigamos feio, mais não nos separamos. Então resolvi dá um basta, e dessa vez para sempre. 

No ano passado, em julho, achei que estava grávida de 'Pedro' e fiquei arrasada porque era algo que não desejava, não naquele momento. Mesmo assim, conversamos e falei que deveríamos mudar o rumo da nossa vida, deveríamos casar, alugar uma casa e vivermos juntos. Ele concordou, até descobrir que foi alarme falso. Em dezembro do mesmo ano, tive um crise que chamo de 'crise existencial'. Conversamos e lhe disse tudo o que achava do nosso relacionamento, que deveríamos morar juntos, ter a nossa própria casa, mas a resposta foi a pior possível. Ele achou que eu estava sufocando, até que desisti.

Este ano comecei a participar de uma casa espírita junto com 'Pedro". Foi aí que a coisa foi mudando de rumo, as redes sociais são perigosas, pois junta quem deveria estar afastado. Sempre estava vendo postagem de Marcos mesmo sem ele saber e o desejo de revê-lo, pelo menos saber se estava bem, se tinha filhos, não cessava. E no centro, a maioria dos temas sempre era de amor, as palestras, as doutrinas... até que um dia eu pedi aos amigos de luz que me iluminassem e me dissessem o que deveria fazer, pois o desejo de rever 'Marcos' aumentava cada vez mais. Um belo dia, no final da reunião, recebi uma mensagem que falava sobre amor e dizia que eu deveria acreditar no amor, que era verdadeiro. Aquilo bateu fundo, foi então, que através de uma amiga, consegui o e-mail e o telefone dele e resolvi mais uma vez entrar em contato. Só que dessa foi diferente, não pedi para ficar com ele, queria apenas notícias, fiquei dois dias esperando a resposta. Foram dias de angustia e quando li o e-mail, eu chorei de emoção, pois ele também sentia e sofria com a minha falta.

A partir de então não perdi mais o contato. Eu e 'Pedro'  terminamos, coisa que jamais passava pela minha cabeça. No dia 29 de outubro, fiz minhas orações, e pedi a meu mentor espiritual que me ajudasse, pois eu sozinha não conseguiria. O amor que que sinto por 'Marcos' não é o mesmo amor que sinto por 'Pedro', tenho por ele um amor de cuidado, amor talvez, de mãe, quero vê-lo bem e feliz, e seria capaz de sacrificar a minha felicidade por ele, mas não é um amor de homem e mulher. Então, à noite quando o 'Pedro' me trouxe em casa, começamos a conversar e a discutir nosso relacionamento. Vimos que algo estava errado e que deveríamos parar.

O 'Marcos', se declarou para mim, disse que me amava e que estaremos juntos. Duvido disso, mesmo o amando, pois não quero criar esperanças, até porque ele ainda continua casado, mesmo não tendo filho. Eu me sinto menos suja, pois eu sei que  trairia o 'Pedro' novamente. Mesmo assim, mesmo com o término do meu relacionamento de 12 anos, ainda tenho muito medo, acho que da solidão, apesar de não ter ficado mágoas, entre eu e 'Pedro', ainda assim me preocupo com ele. Não sei qual será o final dessa história, acho que fizemos a coisa certa quando terminamos o relacionamento, porém, sinto que só estarei completamente feliz quando 'Pedro' encontrar um verdadeiro amor. 

Quanto a mim, digo com pureza de alma que não desejo ser feliz ao lado de 'Marcos' sabendo que alguém estará infeliz. Quem sabe um dia eu ele estaremos juntos! Tantos encontros e desencontros nessa vida... Tenho visões, não sei se são reais ou de uma vida passada, onde me vejo bem sucedida, amigos, carros, um profissional reconhecida, mas triste e sozinha por um amor que não foi concretizado. Espero que nessa vida eu tenha o amor, uma família, filhos, cachorro, gato, que eu seja feliz e que as pessoas que me rodeiam e que  me ajudaram e me ajudam também estejam felizes. Essa é minha história. Acho que apenas precisava  desabafar".
Lis
Depoimento por e-mail
Compartilhe no Google Plus

Sobre Editor

Esta não é uma página pessoal. Todo o material é compilado por uma equipe de colaboradores, coordenada pela editora Ana Carolina Grignolli, jornalista especializada em comportamento.
    Deixe seu comentário
    Comente no Facebook

4 comentários :

  1. Gabriel Aguiarjaneiro 21, 2013

    Li algumas mensagens e percebi, até agora, que existem pessoas que estão sofrendo por algum tipo de "rolo amoroso". É lógico que não mandamos no coração, só que como tudo na vida existem prioridades.
    Tomarei como exemplo uma mensagem que está no grupo, onde uma mulher casada a mais de 20 anos, conheceu um rapaz provavelmente mais novo e ficou "encantada".Quando ela fala do rapaz, dá a entender um amor de vidas passadas, logo em seguida justifica como sendo um amor além de homem e mulher. Parece que o rapaz foi para outra cidade e o que poderia ser o remédio para a harmonia do casamento, está, na minha opnião, se tornando uma tormenta para a mulher, onde, ela parece contar nos dedos os minutos para viverem esse "amor proibido", seja nessa vida ou em outra.
    Como eu disse anteriormente, existem prioridades e essas prioridades vem a prova todo o momento. Entre magoar um "amigo", ou o seu marido (ou mulher), que se preserve a segunda opção.
    Não é fácil eu sei,mas, se ficarmos dando brecha pro azar, vai ficar muito difícil fazermos o certo. Homens e mulheres interessantes existem a todo o momento, só que não podemos esquecer daqueles que estão conosco desde então. Podem estar velhos, um pouco enrugados, mas, o amor que um dia os juntou não pode ser descartado assim.
    Em um albúm de fotografias não existem momentos ruíns registrados, só que são esses que quando ultrapassados fortificam a união.

    ResponderExcluir
  2. Nossa que historia linda... e se parece muito com a minha durante muito tenho buscado explicações para essa angustia que venho sofrendo!!! Sou casada tenho uma família linda gosto do meu marido mas sempre penso e desejo ter uma vida ao lado de um amor do passado que é casado, é uma sentimento maior do que Tudo e busca incessante de saber alguma coisa sobre ele de manter algum contato que hoje eu não tenho e o pior de tudo é conviver com duvida se ele sente o mesmo por mim!!!

    ResponderExcluir
  3. Eu estou em uma situação parecida, estava solteira em busca de novas amizades, quando conheco esse homem, começamos conversando sem compromisso, mas fui gostando, nunca achei que ficaria com ele, no primeiro encontro foi uma loucura, nao conseguimos ficar longe um do outro, e fomos ficando mas após 2 meses ele me diz que é casado a esposa ta gravida, terminei com ele imediatamente, mas após um tempo vi que não conseguia esquecê-lo, e ele sempre atencioso diz que me quer que vai largar tudo pra ficar comigo, me deu um prazo de 5 meses ate o filho crescer um pouco, mas embora eu não tenha duvida sobre o sentimento dele por mim, fico insegura pois entre amar e ficar comigo existem muitos poréns, mas estou tentando dar uma chance ao nosso sentimento e dar o prazo a ele. So que as amigas dizem que não vai acontecer que eu vou me machucar. Então fico na dúvida fazer o que o coração quer ou não. To muito confusa.

    ResponderExcluir
  4. eu tambem sofro muito sou casada e apaixonada por um estrangeiro
    tambem casado ;vivemos uma eterna paixao no começo ele diz que era solteiro quando ele percebeu que eu tava amando ele, ele disse que era casado.
    mesmo assim vivemos uma eterna paixao..
    ontem ele resolver me dizer adeus, mais uma vez de tantas que ele dizia e voltava . mas agora acho que ele nao volta mais . beijos amigos que sofrem com a mesma ilusao que eu ,,

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

REGRAS PARA COMENTÁRIOS:

O espaço de comentários do Blog Amor de Almas é essencialmente livre, mas pode ser moderado, tendo em vista critérios de legalidade e civilidade. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. são aceitos comentários anônimos, contanto que não infrinjam as regras acima.

A REDAÇÃO:

1. não se responsabiliza pelos comentários dos frequentadores do blog;
2. se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas Regras ou às normas legais em vigor;