Por anos, por mais de 16 anos para ser mais exato, os moradores de Curitiba Gianfabio Precoma de Oliveira e Mauricio Ribeiro Muderno são exemplo de casal jovem, bonito e bem resolvido. Na semana passada, Gianfabio (à dir), psicólogo e professor universitário, aos 40 anos, deu adeus a esta vida, depois de lutar por mais de dois anos contra um violento câncer cerebral.

Deixou Maurício, que emocionado deu um depoimento lindo na cerimônia de cremação, na terça-feira passada, dia 18. O discurso foi gentilmente cedido para a Lado A, para dividirmos com amigos e leitores. A generosidade sempre fez parte da vida deste casal que venceu barreiras e fez questão de mostrar o amor que sentem um pelo outro a todos. Ficará a saudade e o exemplo de Gianfabio.

Nosso amigo Maurício conversou com o editor Allan Johan e informou que as cinzas de Gianfabio serão lançadas em Janeiro na Serra do Mar. Em breve, ele anunciará a data da homenagem. Não haverá missa de sétimo dia em razão de cair no Natal e muitos amigos já terem viajado. Agradecemos mais uma vez a confiança em nós depositada para participarmos desse momento tão íntimo e cheio de emoção, e ainda dividirmos ele com nossos leitores

Confira abaixo o discurso escrito por Maurício, que se despede com um lindo "até breve":

Discurso de Despedida

Boa tarde...

Para todos vocês presentes – familiares, amigos, colegas – enfim, todos que marcaram de forma mais intensa e íntima, ou menos intensa e até não tão íntima assim, nossas vidas. E digo nossas vidas, porque, até esse momento, minha vida e a vida do Gian era uma só “Roda Gigante”.

E na roda gigante da vida, estamos aqui hoje não, somente, para chorar a tristeza da perda e falta que o Gian irá fazer em nossas vidas, mas, sobretudo, para celebrar o privilégio de termos cruzado, encontrado e, mais ainda, compartilhado com o Gian esse pequeno percurso que é nossa existência humana.
Particularmente, eu posso afirmar que conhecer o Gian no dia 11/05/1996, foi o marco divisor da minha vida, tal qual alguns historiadores dividem a história ocidental da humanidade como a.C. ou d.C..

O Gian foi a pessoa que me salvou de todas as maneiras que alguém poderia ser salvo! Ele me ensinou a gostar de mim mesmo, a ter orgulho, respeito e admiração própria. A identificar a beleza no espelho! Salvou-me de mim mesmo! Salvou-me da fantasia, ignorância e hipocrisia do mundo!

Só por isso, ele já seria para mim a pessoa maravilhosa e especial que ele foi, mas ele foi além de salvar-me, ele me despiu dos meus medos mais arraigados, me ensinou a ter confiança, sobretudo em mim, a ser otimista, apesar de todas as adversidades, e positivista diante das atrocidades humanas.

Com seu carinho, paciência, determinação e amor incondicional, nunca desistiu de mim. Como eu, igualmente, nunca desisti dele. Assim criamos nesses quase 17 anos, um amor verdadeiro e indissolúvel, baseado numa cumplicidade impar.

O nosso amor fez escola, gerações de jovens amigos (gays ou não), que o compartilharam intimamente ou não tão intimamente assim, formaram uma opinião de respeito e admiração pela nossa relação. Perceberam que nosso amor é o verdadeiro amor de dádivas de doação (que liberta os amantes) e não o falso amor de entranhas de posse (que aprisiona os corações). Esse nosso amor, cultivado e compartilhado, sobre o axioma da cumplicidade é, para nós, o amor eterno que sobrevive ao tempo e quem dera até a morte!

Todos sabem, ou pelo menos os mais próximos, que eu não sou uma pessoa de fé! Entretanto, o Gian era! Uma pessoa de fé e de crenças. E dessas suas crenças, uma eu torço para que eu esteja enganado e ele certo! O Gian acreditava que nosso amor, era fruto de almas antigas! Para ele, por muitas e muitas vidas anteriores, nos nós encontramos e nos amamos, tal como nessa vida de agora, e por muitas e muitas vidas futuras, voltaremos a nos unir, por esse verdadeiro e eterno amor!

Sendo assim, levanto uma saudação de agradecimento e despedida a você Gianfabio Precoma de Oliveira, meu único e verdadeiro amor, para sempre! Até breve!
Mauricio Ribeiro Muderno
A partir da Revista Lado A. Leia no original


Compartilhe no Google Plus

Sobre Editor

Esta não é uma página pessoal. Todo o material é compilado por uma equipe de colaboradores, coordenada pela editora Ana Carolina Grignolli, jornalista especializada em comportamento.
    Deixe seu comentário
    Comente no Facebook

1 comentários :

  1. Sou nova neste site e a questão de se podem existir almas gêmeas do mesmo sexo, como no caso mencionado acima, sempre me intrigou demais. Agora pergunto o que diz a visão espírita sobre isso (sou espírita) e o tema almas gêmeas é o meu maior sonho.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

REGRAS PARA COMENTÁRIOS:

O espaço de comentários do Blog Amor de Almas é essencialmente livre, mas pode ser moderado, tendo em vista critérios de legalidade e civilidade. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. são aceitos comentários anônimos, contanto que não infrinjam as regras acima.

A REDAÇÃO:

1. não se responsabiliza pelos comentários dos frequentadores do blog;
2. se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas Regras ou às normas legais em vigor;