"Tenho 25 anos e estou em um relacionamento de quase 12 anos, ou seja eu comecei namorá-lo aos 13, sendo que estou casada há sete anos. Meu marido é daqueles homens bem sérios (retraído), ele é o marido que toda mulher deseja ter, me dá beijinho quando vai sair e quando volta, me ajuda nas tarefas da casa, tenta me agradar no que pode, eu nunca descobri nem desconfiei de nenhuma traição. O problema todo sou eu. Eu errei lá no começo quando fiquei com ele pra esquecer um menino que eu gostava e não me correspondeu. Fiquei muito tempo pensando nele, mas eu sabia que tinha que tirá-lo da mente e dar valor a quem realmente gostava de mim.

Com o tempo fui me conformando e descobrindo coisas da adolescência, meu marido foi o primeiro e único em tudo: beijo, amassos e, enfim, desfrutou do bem que pensei em dar para o tal menino que nunca me quis. Valeu a pena porque, independente do que sinto hoje, fui muito feliz e ele era a pessoa certa naquele momento.

Mas o vazio continuou e sempre senti que me faltava algo. Ele também ficou um tempo frio comigo, acho que exausto de tanto meio-amor. Eu nunca me entreguei completamente, apenas fui levando a vida, gosto dele, mas não o amo. Já cheguei a pensar que amava, mas me imagino muito feliz sem ele, nem sofro ao pensar em perdê-lo. 

Já ele é completamente diferente de mim. Tenho tantos sonhos e objetivos, planos para uma vida melhor, quanto ele nem comenta sobre o futuro. Quando fomos morar juntos eu tinha 18 anos, ele tinha acabado de sair do emprego e não tinha onde ficar já que toda a família dele é do interior, então ele teve que ficar na minha casa. Na época, não queria, mas pior seria se eu o abandonasse  quando mais estava precisando.

Ficamos morando na casa de meus pais por uns meses e depois nos mudamos. Fui me acostumando e gostando da vida de casada, nem pensava com tanta frequência na minha desilusão. Mas quando eu via alguém parecido com o tal rapaz eu ficava diferente. Sofria e ainda sofro me perguntando porque eu não consigo tirar esse homem de minha cabeça, porque até hoje eu sonho com ele.

Nosso casamento ficou frio e já penso em me separar. Me sinto como um passarinho preso em uma gaiola. Ele me sufoca, é muito ciumento. Já não estamos bem há uns cinco anos e eu sei que sou errada em continuar. Tenho um filho de quase dois anos, embora não quisesse engravidar. Sempre me preveni e nunca tinha vacilado, mas bastou uma vez apenas para acontecer. Apesar de eu não ter desejado engravidar meu filho foi muito bem recebido por todos e eu amo ele mais que tudo nessa vida. É o maior presente que recebi. Mas com o nascimento dele nossa relação ficou mais fria. Há uns meses atrás eu não queria nem beijar, tive nojo até de transar.

Sei que ele sofre quando estou assim e por isso não me sinto no direito de estragar a vida dele que poderia estar com quem realmente lhe aceita e ama como ele é. Eu falei pra gente se separar, mas ele não aceita, fica mal. Por coincidência, o tal rapaz me adicionou no Facebook e hoje mantemos contato diariamente. 

Ele confidência muitas coisas a mim, pois sofreu uma desilusão com uma namorada de longa data, ficou sozinho por um tempo e agora namora outra. Então, me liga, me dá atenção e tem muito a ver comigo, mas não dá em cima de mim e eu prefiro, pois acredito que não me seguraria. Penso nele todos os dias, sei que estou muito errada porque sou casada com um cara muito gente boa e esse rapaz ainda é comprometido. 

Penso em me separar pra me dar um tempo, ficar sem ninguém, pois nunca tive esse tempo pra mim. Comecei a namorar muito nova e ainda tive uma experiência apenas, não sei quase nada da vida, tenho medo de abandonar uma pessoa tão boa e aprender a dar valor pelo sofrimento. Respeito muito os meus pais, sei que eles ficariam muito mal com a minha separação, pois todos gostam muito do meu marido. Eu pretendo me separar depois que o meu irmão firmar sociedade com meu marido, pois ele vai poder andar com as próprias pernas, terá mais condições financeiras de morar sozinho e as pessoas acreditarão mais na capacidade dele.

Hoje exatamente estou naqueles dias infelizes, frustrada e depressiva." 

Compartilhe no Google Plus

Sobre Editor

Esta não é uma página pessoal. Todo o material é compilado por uma equipe de colaboradores, coordenada pela editora Ana Carolina Grignolli, jornalista especializada em comportamento.
    Deixe seu comentário
    Comente no Facebook

8 comentários :

  1. Me identifiquei muito com o que escreveu, pois tive um relacionamento de 15 anos e sem filhos, meu marido tinha essas características como o seu, amizade e pouco tesão, ou quase nenhum. Me separei e fui viver com outra pessoa que considerava como esse seu cara do facebook. Sabe o que aconteceu? ILUSÃO, não tenho sido bem tratada desde então, é só brigas. Tudo que faço é ruim, na verdade chego a pensar que era feliz e nao sabia.
    É só uma uma dica.

    ResponderExcluir
  2. Minha querida, tudo na vida da gente tem um prazo, seja para o amor, para o ódio..enfim.
    Se você deseja cuidar da sua vida, faça isso com consciência, nao coloque ninguem de imediato em sua vida.. isso seria constragedor demais para todos, ainda mais se não der certo.. Você tem cede de viver a vida, conhecer outras pessoas, entendo bem seu comportamento viu, já passei por isso... mas só depois de levar altos tombos percebi o que melhor mesmo é minha família.. as vezes me pergunto, porque somos tão sensíveis, tão carentes??? A alma de uma mulher é linda, doce , mas pode ser tornar a mais amarga dependendo de suas escolhas.. Seja feliz, mas tome cuidado. Não despreze, faça tudo de uma forma limpa.. vá trabalhar , conquistar seu espaço.. mostrar que vc é capaz de se manter sozinha...pq ai ninguem ficará jogando nada na sua cara... Beijo Grande em Seu coração, cuide-se e ame-se sempre!!!!

    ResponderExcluir
  3. QUERO ESCREVER UM DEPOIMENTO,MAS NAO ACHO O LOCAL,,PRECISO DE AJUDA..ALGUÉM SABE ME DIZER ONDE ESCREVO UM DEPOIMENTO.NAO UM COMENTÁRIO.

    ResponderExcluir
  4. Me indentifiquei com o seu depoimento . eu namorei a primeira vez com 13 anos com um rapaz durou 3 meses. mais nos distanciemos assim do nada. e 9 meses depois conheci outra pessoa com quem me casei achava que o amava.(queria mesmo esquecer o ex).e hoje sofro porque eu não o esqueci e ainda amo ele . tive medo de terminar meu casamento de 7 anos e o meu ex não me querer. E por ironia do destino descobri que o meu ex tambem me amava .mais ja era tarde. ele teve um derrame cerebral que lhe tirou a vida com apenas 24 anos. SINTO QUE PERDI A CHANCE DE SER FELIZ. POR MEDO DE ERRAR. DARIA TUDO PARA VOLTAR NO TEMPO E ABRAÇA-LO, BEIJA-LO E DIZER QUE EU O AMO MAIS QUE TUDO NESSA VIDA . MINHA VIDA PERDEU O SENTIDO SEM ELE..TUDO ME LEMBRA ELE ,LEMBRO DO SEU CHEIRO,DO GOSTO DOS SEUS BEIJOS, Não sei mais oque fazer, to muito mal.

    ResponderExcluir
  5. Vamos por partes: Uma coisa é o seu casamento não corresponder as suas expectativas, outra coisa é a paixão mal resolvida. Normalmente guardamos aquela impressão de uma pessoa que gostamos no passado, como se ela tivesse ficado lá, imutável, no mesmo modo que a conhecemos. Viajamos nesse encantamento congelado no tempo de nossa própria memória, mas... as pessoas mudam, e devem mudar, como nós também mudamos de tempos em tempos. Uma necessidade é você resolver o seu casamento, dar um tempo para si mesma, sem colocar outra possibilidade amorosa na sua vida porque até o mel mais doce azeda num pote sujo. Então, limpe o seu coração, resgate sua auto-estima antes de tudo, para não cair numa armadilha sentimental que consumirá mais uns bons anos de sua vida ou a deixará triste e desiludida. Só se desilude quem se deixou iludir. Não se iluda e busque a sua própria felicidade, idependente de ter ou não um parceiro na sua vida, porque a melhor parceria ainda é de você com você mesma. É com você que terá que viver por todos os dias da sua vida. Seja feliz!

    ResponderExcluir
  6. Olá gostaria de deixar um depoimento...como faço?

    ResponderExcluir
  7. E facebook e wathsapp estragando casamentos desde os anos 2000

    ResponderExcluir
  8. Sua historia é muito parecida com a minha, porem amo muito meu marido, apesar de hj esta em crise. Já o primerio menino q tbm fiquei com ele na cabeça anos, há 3 anos nos reencontramos e descobri q eu tinha cultivado um sentimento daquela época, cheguei a ter q beijar ele de novo pra sentir a mesma sensação, mas não foi, td mudou, td é diferente!!! Era um encantamento. Hj é uma amizade, sei q hj ele pensa em mim, mas ele ainda não percebeu q mudamos muito de 14 anos pra ca.
    E a questão de fica só, pra ter o seu tempo, tbm to nessa, moro junto desde 14 anos e estou com 27, casamento em crise, sinto a mesma necessidade, so q o fato com o garoto eu já resolvi.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

REGRAS PARA COMENTÁRIOS:

O espaço de comentários do Blog Amor de Almas é essencialmente livre, mas pode ser moderado, tendo em vista critérios de legalidade e civilidade. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. são aceitos comentários anônimos, contanto que não infrinjam as regras acima.

A REDAÇÃO:

1. não se responsabiliza pelos comentários dos frequentadores do blog;
2. se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas Regras ou às normas legais em vigor;