O QUE É AMAR ALGUÉM? EXISTE ALMA GÊMEA ?

O amor é um dos maiores temas de todas as épocas, sobre ele muito se escreveu e se escreverá. As abordagens vão desde o romantismo adolescente e apaixonado, passam pela cumplicidade madura dos casais mais experientes e, não raro, pelo divã dos psicanalistas.

Palavras e conceitos são bem diferentes. A maioria das nossas confusões afetivas parte da nossa incompreensão e da nossa inexatidão com respeito aos conceitos.

"Um bom indicador da veracidade de nosso amor por alguém é o quanto ele nos transforma, o quanto cedemos, vencendo o nosso egoísmo e narcisismo e evoluindo para vivê-lo intensamente"

Afinal o que é o amor? Como é o amor? Existe realmente uma única definição para um tema tão complexo ou estamos reféns do relativismo? E, então, haverá tantas definições de amor quantas pessoas neste planeta?

Longe de desenvolver complicadas teses filosóficas a este respeito, sejamos práticos, vamos primeiro definir o objeto do nosso amor: ele está centrado em nós, no outro, ou em um tipo especial de relação entre nós e o outro?

Será que encontrei, de fato, o amor de minha vida?

Todos os dias você encontrará pessoas reclamando que não encontraram o grande amor de suas vidas. Não encontraram? Não procuraram? Não sabiam o que estavam procurando? Encontraram e não reconheceram? Encontraram e não souberam valorizar?

Na vida, você não encontra o que procura, apenas o que está preparado para encontrar.

Muitas pessoas se queixam da ausência do par ideal, mas não percebem que estão vivendo a ilusão da busca da sua outra metade e que, por consequência, se sentem divididos ao meio, seres incompletos em busca de alguém que os complete.

Buscar a outra metade significa delegar para outra pessoa a difícil missão de te fazer feliz e de suprir faltas que sua personalidade apresenta e que só podem ser supridas por você.

Seres humanos sempre serão “metades” diferentes que juntas não formarão uma unidade, mesmo nos casos de amor mais lindos e perfeitos que você conheça.
Quando duas pessoas “inteiras” se encontram podem ser felizes, já duas metades...

Vale o conselho em tom de ironia e brincadeira: “Se você quer ser feliz, não case; mas se quiser fazer alguém feliz, então case, pois duas pessoas com esta filosofia contribuirão uma com a felicidade da outra”.

União, expansão e crescimento

O desejo de união amorosa é mais lúcido se for um desejo de expansão e crescimento, de compartilhar universos diferentes em alguns aspectos, semelhantes em outros, mas onde a busca pela semelhança total ou a convivência com diferença plena seriam tolices.

Ninguém é responsável pela nossa felicidade e nem nós pela de ninguém, mas somos todos co-responsáveis por participar na construção da felicidade uns dos outros.

Entregar a outra pessoa “o fardo” de fazer você feliz é eximir-se da responsabilidade sobre suas próprias emoções, sentimentos e escolhas e assumir o confortável papel de vítima. Afinal, se não der certo, a culpa é do outro que falhou em te fazer feliz.

Esse comportamento de fazer com que o outro se responsabilize por nossa felicidade caracteriza egoísmo, vaidade e narcisismo, pois parte do pressuposto que nós somos muito importantes, a tal ponto que o outro tenha a “obrigação” de nos fazer feliz. A pergunta é: Isso é amor pelo outro ou apenas por si mesmo?

Os dois casos mais frequentes nos relacionamentos amorosos são sempre os das pessoas que se apaixonam pelo “espelho” (alguém extremamente parecido com ela) e o daqueles que se apaixonam pelo seu oposto - alguém totalmente diferente dela.

No primeiro caso a pessoa não se dá conta que está procurando a confortável, porém, tola posição de não ter que aprender ou se adaptar a nada, afinal vive com uma cópia de si mesmo, seja real ou submissa.

No segundo caso, não se dá conta que está procurando alguém que compense as áreas não trabalhadas da sua personalidade e das suas competências sociais, transferindo ao outro tudo aquilo que tem dificuldade em fazer. Em ambos os casos, observamos um nítido egoísmo de face facilmente reconhecível: o narcisismo.

Como eternizou Caetano, “narciso acha feio o que não é espelho”.

Sejam quais forem os caminhos escolhidos para falar do amor (paixão é outro tema) perceberemos que amor é legitimamente um sentimento que parte de nós em direção ao outro e não algo que esperamos parta do outro em relação a nós.

O desejo de amor está ligado ao desejo de expansão, à presença simultânea das semelhanças e diferenças. O sentimento de amor mais legítimo que podemos conceber parte sempre de uma doação sem necessidade de submissão; de tolerância sem necessidade de omissão; de compartilhar sem necessidade de auto-abandono. Amar é somar, multiplicar e dividir, nunca subtrair.

Amar continua sendo a maior aventura e o maior desafio da espécie humana!

Por isso, um bom indicador da veracidade de nosso amor por alguém é o quanto ele nos transforma, o quanto cedemos, vencendo o nosso egoísmo e narcisismo e evoluindo para vivê-lo intensamente.

Carlos Hilsdorf
A partir  do site Vya Estelar. Leia no original
Compartilhe no Google Plus

Sobre João Casmurro

Esta não é uma página pessoal. Todo o material é compilado por uma equipe de colaboradores, coordenada pela editora Ana Carolina Grignolli, jornalista especializada em comportamento.
    Deixe seu comentário
    Comente no Facebook

4 comentários :

  1. Querida, acho possível existir!
    A vida é tão repleta de misticismo!
    Mistérios, coisas assim!

    Amar e ser amado,é maravilhoso! Uma verdadeira dádiva.

    Abraços, querida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ao ler ===amor de almas, fiquei maravilhada... amr e ser amada,uuuuf, e uma graça divina aos seres humanos...bjs...

      Excluir
  2. comecei um amor na adolecencia estavamos ficando ficamos por varios anos, brigavamos muito por causa do ciume,moramos juntos tivemos um filho ele faleceu muito novo e eu de pois d quase 4 anos ainda cinto muitas saudades dele ,parece q a qualquer momento vou encontralo ainda o amo muito,muito mesmo e sonho com ele toda semana sera q somos almas gemeas.

    ResponderExcluir
  3. Eu tenho um amor e não consigo esquecer, e sei que ele me ama também. Qdo eu tinha 18 anos começamos a namorar, só que durou 4 meses pois minha mãe proibiu pois ele tinha 27 e era separado com 1 filha de 3 anos. Ele disse que gostava de mim porém não queria atrapalhar e nos separamos. Eu sofri muito. O tempo foi passando, nos encontrávamos rápido, ele passava de carro e buzinava, as vezes ia me dá um oi onde eu trabalhava, em 2006 ele foi morar na Paraíba com a mulher que ele estava. Toda vez que eu via a filha dele eu parava e perguntava por ele, nunca esqueci, não sofria mais pois estava vivendo minha vida, encontrei outras paixões. Em 2012, depois de 18 anos, ele voltou e a primeira coisa que fez foi me procurar, e procurou hein. Nos reencontramos, voltamos a namorar, ficamos noivos, e eu vi que eu ainda o amava, o que estava apagado reacendeu com toda força. Ficamos noivos, estávamos mto felizes. Tinhamos projeto de formar familia, ter filho, só que deveria ser devagar pois ele estava recomeçando a vida dele. De repente começou os ciumes do meu ex, quer dizer ele teve desde o primeiro dia rsrsrs Brigavamos mas como todo casal.. depois estavamos juntos de novo. Até que um determinado momento começaram a me infernizar, fofocas, e eu comecei a pegar em cima dele.. Comecei a vigiar tudo. Um dia peguei entrei no face dele e peguei uma conversa com uma mulher, ate aquele momento nao existia nada mesmo, mas já viu né, a mais que eu conhecia a pessoa, não vale nada, golpista, galinha, barraqueira, gostava de roubar homens de outras... Pronto... E isso eu peguei exatamente no dia q descobri q estava gravida, meus a hormonios estavam la em cima.... começamos a brigar ... ele simplismente mudou da noite p o dia, durmiu me amando e acordou me odiando. Me largou e ficou com a tal mulher, está até hj com ela. Só que eu sei, pois tenho informante leal, que disse que ele é aoaixonado por mim, qdo nosso filho nasceu ele mudou, acharam q ate voltariamos... ai depois de 4 meses some de novo ... até hj n sei o real motivo de ele ter me largado. Descobri que ela antes de estar com ele, ele estava comigo mas nao tinha nada com ela, só havia pego um curriculo dela, ela começou a mandar bombons para ele, ela tem centro, ela enfeitiçou ele, amarrou ele, ele quer voltar mas bloqueia... n consegue, ele nao sabe que sei pois p mim ele mostra se durao... Sei que o nossos amor é real, e hj construimos a tao familia desejada, só que ele está amarrado a ela vai fazer 2 anos... nosso amor foi interrompido mesmo? ou será que não é amor, nossa história era linda, amor lindooo ... somos alma gemeaaaa

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

REGRAS PARA COMENTÁRIOS:

O espaço de comentários do Blog Amor de Almas é essencialmente livre, mas pode ser moderado, tendo em vista critérios de legalidade e civilidade. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. são aceitos comentários anônimos, contanto que não infrinjam as regras acima.

A REDAÇÃO:

1. não se responsabiliza pelos comentários dos frequentadores do blog;
2. se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas Regras ou às normas legais em vigor;