O AMOR EQUILIBRA OS RELACIONAMENTOS


Se ele é mais apaixonado pela garota do que ela por ele, sentimento de rejeição pode virar um problema na relação; veja dicas do psiquiatra e psicoterapeuta Eduardo Ferreira-Santos

Ser sincero em relação aos sentimentos é fundamental. No mundo ideal do amor, o casal se gosta de forma sincronizada. Mas, na realidade, muitas vezes a história é outra: às vezes uma garota é mais apaixonada por seu namorado do que ele, ou vice-versa. A dificuldade para expressar sentimentos, muito mais comum no homem do que na mulher, costuma gerar nas garotas uma grande dose de vulnerabilidade, que, aliada a inseguranças pessoais, cria um constante questionamento sobre o amor que o parceiro sente por ela. E não é raro a mulher se sentir preterida em relação aos amigos e parentes do companheiro.

Geralmente, cabe à mulher deixar claro seu sentimento por meio de gestos e ações que o homem não consegue corresponder à altura. Não se trata, porém, de falta de amor, mas de falta de capacidade dele para revelar o que passa em seu coração. Poucos conseguem dizer um “eu te amo”, quanto mais corresponder às expectativas das mulheres de ser reconhecidas, admiradas, elogiadas.

Calor e calma

É bom lembrar que as manifestações evidentes de afeto são mais típicas da paixão do que do amor, pois a paixão é uma emoção e o amor é um sentimento. Nas emoções, que são de curta duração, os sinais de interesse são claros, como taquicardia, respiração ofegante, pensamento obsessivo e arroubos de atitudes. Os sentimentos, por sua vez, tendem a ser plácidos e duradouros, sem demonstrações exacerbadas. Portanto, homens e mulheres podem ficar inseguros quando a paixão arrefece – seja para terminar mesmo, seja para transformar-se em amor.

Além disso, se quisermos medir a presença do amor, devemos pôr o ciúme de lado. Diferentemente do que muitos acreditam, o ciúme não é prova de amor, e sim de possessividade. O problema é que, quando o homem deixa de demonstrar ciúme, a mulher tende a duvidar do amor dele. Então, se ela se ressente de algum distanciamento, é importante chamá-lo para conversar.

O ponto principal é não transformar essas conversas em brigas, mas manter um tom ameno, em que ela exponha seu desagrado e questione o que gerou o aparente afastamento. É preciso ter coragem para receber uma resposta frustrante e dolorosa, mas é mais saudável dar fim a uma relação do que viver um horror sem fim. Afinal, é possível que a percepção da mulher – de que deixou de ser amada – proceda. Nesse caso, será necessário elaborar o luto por esse amor que terminou e se recompor – para poder amar de novo, depois.

Segredos da reconquista

Amor não se pede nem se compra, se conquista. Sedução não significa submissão, mas a capacidade de voltar a ser atraente, pois muitas vezes acontece de, ao longo de um relacionamento, a mulher deixar de lado sua aparência, interesses e hábitos culturais. Com isso, o valor que você dá a si própria cai, gerando um círculo vicioso em que a baixa auto-estima leva ao descuido e o descuido diminui ainda mais a auto-estima.

Portanto, concentre-se em si mesma. Cuide-se e será cuidada. Procure tornar-se visível em vez de implorar para ser olhada. Não se curve perante os desejos do outro, desprezando a própria identidade. Senão, acabará sendo querida pelo que você não é, apenas aparenta ser. E isso resulta em mais insatisfação e infelicidade.

Seja fiel a si mesma e assim conquistará (ou reconquistará) o amor apagado pela convivência e a rotina. Corrija os desvios de percurso e volte-se para aquilo que sempre foi importante para vocês, aquilo que os atraiu no início. E procure entender o seu par, mergulhar na alma dele a fim de encontrar os motivos que desencadearam as situações que deseja mudar.
Compartilhe no Google Plus

Sobre João Casmurro

Esta não é uma página pessoal. Todo o material é compilado por uma equipe de colaboradores, coordenada pela editora Ana Carolina Grignolli, jornalista especializada em comportamento.
    Deixe seu comentário
    Comente no Facebook

2 comentários :

  1. Puxa vida maravilhoso texto.
    Em sintese temos que nos amar primeiro, para que sejamos amadas da forma que queremos.
    Nos amar de verdade envolve nos respeitarmos, respeitar nossos sentimentos, nossos limites, nossas dores...Nos conhecer, e ai sim, tentar consertar nosso relacionamento.
    Bjos achocolatados

    ResponderExcluir
  2. Texto muito bem escrito e esclarecedor. Amei.
    Bjus!

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

REGRAS PARA COMENTÁRIOS:

O espaço de comentários do Blog Amor de Almas é essencialmente livre, mas pode ser moderado, tendo em vista critérios de legalidade e civilidade. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. são aceitos comentários anônimos, contanto que não infrinjam as regras acima.

A REDAÇÃO:

1. não se responsabiliza pelos comentários dos frequentadores do blog;
2. se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas Regras ou às normas legais em vigor;