12/04/2010

VALE A PENA ACREDITAR EM RELAÇÕES FALIDAS ?

Não quero defender as relações falidas e que só fazem mal, nem estou sugerindo que as pessoas insistam em sentimentos que não são correspondidos, em relacionamentos que não são recíprocos, mas quero reafirmar a minha crença sobre o quanto considero válida a coragem de recomeçar, ainda que seja a mesma relação; a coragem de continuar acreditando, sobretudo porque a dor faz parte do amor, da vida, de qualquer processo de crescimento e evolução.

Pelas queixas que tenho ouvido, pelas atitudes que tenho visto, pela quantidade de pessoas depressivas que perambulam ocas pelo mundo, parece que temos escolhido muito mais vezes o “nada” do que a “dor”.

Quando você se perguntar “do que adianta amar, tentar, entregar-se, dar o melhor de mim, se depois vem a dor da separação, do abandono, da ingratidão?”, pense nisso: então você prefere a segurança fria e vazia das relações rasas? Então você prefere a vida sem intensidade, os passos sem a busca, os dias sem um desejo de amor? Você prefere o nada, simplesmente para não doer?

Não quero dizer que a dor seja fácil, mas pelo amor de Deus, que me venha a dor impagável do aprendizado que é viver. Que me venha a dor inevitável à qual as tentativas nos remetem. Que me venha logo, sempre e intensa, a dor do amor...

Prefiro o escuro da noite a nunca ter me extasiado com o brilho da Lua...
Prefiro o frio da chuva a nunca ter sentido o cheiro de terra molhada...
Prefiro o recolhimento cinza e solitário do inverno a nunca ter me sentido inebriada pela magia acolhedora do outono, encantada pela alegria colorida da primavera e seduzida pelo calor provocante do verão...

E nesta exata medida, prefiro a tristeza da partida a nunca ter me esparramado num abraço...
Prefiro o amargo sabor do “não” a nunca ter tido coragem de sair da dúvida...
Prefiro o eco ensurdecedor da saudade a nunca ter provado o impacto de um beijo forte e apaixonado... daqueles que recolocam todos os nossos hormônios no lugar!

Prefiro a angústia do erro a nunca ter arriscado...
Prefiro a decepção da ingratidão a nunca ter aberto meu coração...
Prefiro o medo de não ter meu amor correspondido a nunca ter amado ensandecidamente.

Prefiro a certeza desesperadora da morte a nunca ter tido a audácia de viver com toda a minha alma, com todo o meu coração, com tudo o que me for possível...
Enfim, prefiro a dor, mil vezes a dor, do que o nada...

Não há – de fato – algo mais terrível e verdadeiramente doloroso do que a negação de todas as possibilidades que antecedem o “nada”.

E já que a dor é o preço que se paga pela chance espetacular de existir, desejo que você ouse, que você pare de se defender o tempo todo e ame, dê o seu melhor, faça tudo o que estiver ao seu alcance, e quando achar que não dá mais, que não pode mais, respire fundo e comece tudo outra vez...

Porque você pode desistir de um caminho que não seja bom, mas nunca de caminhar...
Pode desistir de uma maneira equivocada de agir, mas nunca de ser você mesmo...
Pode desistir de um jeito falido de se relacionar, mas nunca de abrir seu coração...

Portanto, que venha o silêncio visceral que deixa cicatrizes em meu peito depois das desilusões e dos desencontros... Mas que eu nunca, jamais deixe de acreditar que daqui a pouco, depois de refeita e ainda mais predisposta a acertar, vou viver de novo, vou doer de novo e sobretudo, vou amar mais uma vez... e não somente uma pessoa, mas tudo o que for digno de ser amado!

Rosana Braga
Escritora, Jornalista e Consultora em Relacionamentos Palestrante
e Autora dos livros "Alma Gêmea - Segredos de um Encontro"
e "Amor - sem regras para viver", entre outros.
www.rosanabraga.com.br e Comunidade no Orkut

1 comentários:

  • Anônimo disse:
    dezembro 19, 2012

    Bom dia Amigos

    Eu precisomuito de opiniões, nao que elas vao mudar a minha decisao, mas pelo menos ira encontrar o coaminho mais sensato, para ser toamda a propria decisao.
    Bom vou contar um pouco da minha historia:
    Sou casada a 15 anos, temos uma filha de 10 anos, porem a nossa relação começou como uma brincadeira, ai começou a ficar seria, porem eu sempre sonhei com o meu principe encanto, so que comigo estava sendo diferente, ou seja casamos por coveniencia...claro que no começo existia o "amor", o carinho, o respeteito.. ainda mais qdo chega uma crinaça no seio familiar... tudo era bom..., porem a minha visao de familia começou a mudar, aquele mulher de ficar dentro de casa ja nao combinava comigo e eu precisava fazer alguma coisa: voltei a estuda, consegui um emprego melhor. So que a minha visao do futuro mudou, estava enchergando 360º graus da nossa vida, e ele nao aceitava, ai começou as brigas, as disconfianças os ciumes, doentio, sem razão, pois a unica coisa que eu queria é da um futuro melhor para minha filha.
    Claro nesses anos de muitas brigas e discussoes, eu me envolvi com outra pessoa... ,nunca pensei em fazer isso... mas aconteceu ( eu estava procurando).
    Nosso casamento teves algumas idas e vinda, porem estamos juntos, a minha visao continua a mesma, hoje eu ja nao me raciono com ninguem ( extra). Porem a minha visao do amor morreu, pois o sonho de encontrar o principe, ou a pessoa que so cuidasse de vc, pra mim hoje é tudo ilusorio, as vezes eu acho que eu morri para o mundo, morri para ser feliz, pois eu noa consigo deixae esse homem, que tanto me machuca e me ofende com palavras que nao mereço... Mas o que me deixa pior, é saber que eu tenho muita pena dele, as vezes me acho uma idiota, pois ele nao pensa em vc... e eu com dó..... eu me sinto tao pessiam,... tao triste, eu ja nao sorrio mais, a vida pra mim agora so tem um ideal, trabalhar, trabalhar e trabalhar.
    Sabe o que mais me deixa chateada com tudo isso, é que ele sabe como eu me sinto, ja foi falado, expressado e ele nao me deixa em paz, ele nao enxerga que ja nao existe mais amor., morro de nojo so de pensar em transar com ele, beijo na boca, ja nao existe, e ele sabe disso, ja pedi para me deixar em paz... mas ele insiste..
    Claro sao 15 anos juntos,medo de enfrentar a vida sozinha eu tenho.. mas eu ja nao aguento mais...Todo dia a noite eu peço pra Deus, me ajudar a me dar forças.. pois tenho vontade de acabar com tudo, so pra nao pode aguentar mais isso, seria o unico jeito de ele me deixar em paz.
    Mas eu tenho a minha princesa que precisa de mim, e la no fundo eu acredito que a minha missao com esse homem ainda nao acabou, eu tento pensar dessa maneira, como uma forma de continuar vivendo a vida...
    Como eu nao tenho ninguem, as vezes ouvir alguem de fora seria bom, por isso estou compartilhando essa historia com vcs. Pois toda a opiniao que vier, sera bem vida.
    Obrigado (a)

Postar um comentário

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

REGRAS PARA COMENTÁRIOS:

O espaço de comentários do Blog Amor de Almas é essencialmente livre, mas pode ser moderado, tendo em vista critérios de legalidade e civilidade. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. são aceitos comentários anônimos, contanto que não infrinjam as regras acima.

A REDAÇÃO:

1. não se responsabiliza pelos comentários dos frequentadores do blog;
2. se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas Regras ou às normas legais em vigor;

Artigos relacionados

2leep.com