MAPA DO SITE


Compartilhe no Google Plus

Sobre João Casmurro

Esta não é uma página pessoal. Todo o material é compilado por uma equipe de colaboradores, coordenada pela editora Ana Carolina Grignolli, jornalista especializada em comportamento.
    Deixe seu comentário
    Comente no Facebook

1 comentários :

  1. Fui a um aniversario numa fazenda a 70 km da minha cidade, era sábado e chegamos cedo, a festa transcorreu até a noite, quando estava para vir embora meus primos que convidaram pra ir pra uma cidade próxima a fazenda onde estaria tendo uma festa muito conhecida na região, estava cansada, mas resolvi ir, tomei um banho, me arrumei e fui. Chegamos e ficamos esperando pra comprar o ingresso da festa , quando de repetente olho pro lado e vejo um rapaz, ali eu já o amava, minha vida mudou em uma fração de segundos, comprei um ingresso e entrei na festa, ele estava acompanhado de sua família e por isso só ficamos nos olhares a noite inteira. Passado um tempo eu o vejo indo embora, fiquei arrasada, pois nunca havia ido à cidade e acreditava nunca voltar e reencontra- lo.
    Voltei pra minha cidade e ficava só pensando dele. Passado uns dois meses eu e umas amigas resolvemos sair pra uma festa. De repente eu o vejo, fiquei parada atônica e comentei com minhas amigas, ele esta aqui ...
    Numa reação louca eu fui falar com ele, dançamos e eu virei às costas e voltei pra perto das minhas amigas vendo qual seria a reação dele, ele veio e me chamou pra ficar no grupinho dele, ficamos abraçados, parecíamos namorados, e depois nos beijamos, trocamos telefone e descobri que ele também morava na minha cidade. Passou domingo e ele não me ligou, fiquei apreensiva, na segunda o telefone toca e é ele, conversamos por mais de uma hora, queria saber tudo da vida dele e ele tudo da minha, passei meu endereço e a noite sem esperar ele chama na frente da minha casa, não esperava essa atitude, conversamos muito, e assim começou.
    Sentíamos algo muito forte, mas também queríamos aproveitar a vida, eu tinha 18 anos e ele 21 e estávamos no ápice da vida social, e isso começou a interferir no nosso relacionamento, um dia ele falou que ia viajar e eu fui num barzinho e reconheci o braço dele pra fora do carro passando na frente do bar,eu senti na hora que era ele, fiquei com muita raiva e falei pras minhas amigas e elas falaram que eu estava louca que nem era o carro dele, como ia conhecer ele pelo braço , podia ser qualquer um, mas depois parou o carro e desceu e era ele, tava confirmado, eu com raiva fiz um barraco e depois comecei fazer ciúmes pra ele e ele ficou com muita raiva e assim começou as desavenças, perdemos o respeito. Eu era inconseqüente e me sentia dona do mundo e o que ele fez, eu não engoli.
    Já não levava ele a serio, amava ele, mas não me importava, ele queria namorar e eu queria festar. Até que ele se cansou e parou de correr atrás de mim...
    Quando eu fui cair em si ele já estava com outra, resolvi então seguir minha vida mesmo sofrendo, arrumei um namorado que queria as mesmas coisas que eu, festa, e isso foi me prendendo a ele, passado quase um ano eu engravidei e quando eu estava de 4 meses ele foi na minha casa atrás de mim, já era tarde, sofri muito mas falei pra ele que estava grávida e que iria me casar no sábado. Foi uma barra, casei, fui muito infeliz, meu marido era inconseqüente, não se importava com nada. Meu sofrimento me fez dar valor na vida e eu sei que o que passei foi à vida me ensinando. Quando fiz 4 anos de casado estava decidida a me separar e ir atrás dele, mesmo tendo uma filha que amava muito o pai dela, ia jogar tudo pro alto se ele me aceitasse e aceitasse minha filha é claro, foi quando descobri que ele tinha se casado no sábado. Foi o pior dia da minha vida e senti o mesmo que ele sentiu 4 anos atrás.
    Sei que o tempo de Deus não é mesmo que o nosso. Tudo o que passei foi um aprendizado pra dar valor ao que realmente importa.
    Mas me pergunto se um dia nos ficaremos juntos, porque o que eu sinto não é um sentimento racional e vai alem da explicação humana. Eu sinto ele, é algo muito forte.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

REGRAS PARA COMENTÁRIOS:

O espaço de comentários do Blog Amor de Almas é essencialmente livre, mas pode ser moderado, tendo em vista critérios de legalidade e civilidade. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. são aceitos comentários anônimos, contanto que não infrinjam as regras acima.

A REDAÇÃO:

1. não se responsabiliza pelos comentários dos frequentadores do blog;
2. se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas Regras ou às normas legais em vigor;