"Relacionamento virtual é um tema realmente delicioso de ler ...Vou deixar um outro tema que também acho muito interessante.... noção de realidade, vivendo num mundo virtual ..... trair e teclar, é so começar" (Alma Nua - Rede de Amigos)

Você tem um namorado, é feliz com o seu amor, mas um dia acontece: você se flagra esticando o olho pra um outro e daí surge o conflito: ser fiel ao seu namorado ou ao seu desejo? "Ter uma relação legal com alguém não impede que a qualquer momento a gente encontre uma pessoa que desperte interesse e atração física", explica a psicanalista Eliana Caligiuri (SP). "Ninguém está livre disso acontecer - nem homens, nem mulheres." O ser humano é curioso por natureza, lembra Eliana, e o desejo muda constantemente de foco, seja por coisas ou mesmo por pessoas.

Em resumo, temos uma tendência natural à infidelidade, que foi reprimida pela vida em comunidade. "A fidelidade não é própria da natureza humana", observa Eliana Caligiuri. Laços, afinidades e uma convivência feliz fortalecem qualquer relacionamento, mas não impedem que você ou o seu namorado sinta desejo por alguém.

Embora homens e mulheres tenham o mesmo desejo, ele se expressa de diferentes maneiras. "O masculino é muito associado à visão, um sentido predominante para os homens", esclarece Eliana. "Eles são estimulados o tempo todo pela aparência das mulheres tanto na rua, no trabalho, em outdoors, revistas, filmes como nos comerciais, etc." Apesar de menos condicionado ao aspecto visual, o desejo feminino é tão forte quanto o masculino. "A mulher certamente não tem a mesma freqüência de estímulos, mas quando o desejo acontece pode até ser mais intenso que o do homem."

Muita gente se pergunta se o surgimento desse desejo por outra pessoa significa que o amor acabou. Se você tem uma relação feliz, a convivência é gostosa e há muitas afinidades obviamente existe amor, e a vontade de "pular a cerca" é mesmo uma atração física momentânea, como a de tomar um sorvete "daqueles" no verão! Vem e passa. "Passado o ímpeto inicial, é comum a pessoa perceber até de forma mais clara do que anteriormente que ama mesmo o seu companheiro e quer ficar com ele."
Aliás, algumas vezes a experiência da infidelidade pode envolver aprendizados muito importantes para a vida. "Nesse encontro ocasional a outra pessoa pode tocá-la de um modo como nunca foi tocada antes ou levála a fazer ou dizer coisas que normalmente você não faz nem diz, porém gostaria muito de vivenciar com seu parceiro no dia-a-dia." Nesse caso, a infidelidade pode até enriquecer a relação "oficial".

A culpa geralmente leva as mulheres que "pularam a cerca" a um dilema dos grandes: contar ou não contar para o companheiro? "Geralmente, falar, mesmo com a melhor das intenções, acaba criando fantasmas desnecessários, gerando muita dor e semeando desconfiança entre o casal", explica Eliana. "No entanto, quando o fato é descoberto o melhor mesmo é falar, admitir a fraqueza, até porque ninguém está livre dela!"

A partir de reportagem do Portal Itodas. Leia texto integral
Compartilhe no Google Plus

Sobre João Casmurro

Esta não é uma página pessoal. Todo o material é compilado por uma equipe de colaboradores, coordenada pela editora Ana Carolina Grignolli, jornalista especializada em comportamento.
    Deixe seu comentário
    Comente no Facebook

3 comentários :

  1. ADOREI VER QUE VOCÊ COLOCOU O TEMA QUE TE INDIQUEI


    BEIJOS

    ResponderExcluir
  2. É realmente complicado... Uma faca de dois gumes... Contar ou não... Envolve tanta coisa, né? Sei lá... Vou pensar mais sobre o assunto...

    Beijão!

    ResponderExcluir
  3. Alma, eu é que agradeço. Esta página se faz, primordialmente, com a colaboração dos leitores e de nossa Rede de Amigos. E isto a enriquece. Um forte abraço. Marcos

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

REGRAS PARA COMENTÁRIOS:

O espaço de comentários do Blog Amor de Almas é essencialmente livre, mas pode ser moderado, tendo em vista critérios de legalidade e civilidade. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. são aceitos comentários anônimos, contanto que não infrinjam as regras acima.

A REDAÇÃO:

1. não se responsabiliza pelos comentários dos frequentadores do blog;
2. se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas Regras ou às normas legais em vigor;