Com o passar dos tempos, criou-se a idéia de que o "primeiro amor" é tão marcante que pode acompanhar uma pessoa por toda a vida, num misto de frustração e busca da felicidade. O "primeiro amor" é quase uma sombra viva do passado, um ente querido, que via de regra nos trás lembranças e insegurança. Mas esta idéia de "amor idealizado" muitas vezes não passa mesmo de um "ideal" que colocamos, inconscientemente, num pedestal (inalcançável) para nos resguardar do próprio medo de frustração. De uma frustração maior. Da terrível idéia de que o "amor" pode não existir.

Todos temem, no fundo a inexistência do amor. Talvez até mais do que temam a inexistência de Deus, pois, afinal, até os ateus amam ou buscam o que chamamos de amor : um sentimento que une cumplicidade, solidariedade, atração, compreensão, renúncia e amizade. Por isto um namoro da infância ou aquela pessoa que nos encantou na adolescência ganhe um status maior do que mereça. É quase como visitar a escola que estudamos nos primeiros anos e que na época parecia um prédio enorme, imponente, um templo de conhecimento.

Hoje pode não ser mais do que uma escola pública acanhada, sem zelador, com mais grades do que uma cadeia pública. É possível que os personagens coincidam, mas não é regra que o "primeiro amor" seja o seu "amor de almas", o encontro ideal, esperado e que une dois seres através dos tempos. Se assim for, muito melhor : serão dois fatos da vida unidos numa só pessoa, num só sentimento.

Hoje decidimos discutir esta questão e gostaríamos de ter, também, a sua opinião, seja através dos comentários ou de nossa Comunidade no Orkut, onde temos um tópico sobre o assunto. Vote também em nossa enquete.
Compartilhe no Google Plus

Sobre João Casmurro

Esta não é uma página pessoal. Todo o material é compilado por uma equipe de colaboradores, coordenada pela editora Ana Carolina Grignolli, jornalista especializada em comportamento.
    Deixe seu comentário
    Comente no Facebook

6 comentários :

  1. Fátima Marquesjaneiro 24, 2009

    PUBLICIDADE

    Quero me apresentar, meu nome é Fátima estou separada há 8 anos, tinha um relacionamento estavel que veio ao fim quando descobri que o meu companheiro tinha outras... fiquei decepcionada com os homens... mas, hoje penso diferente e quero ser feliz, busco alguém que me faça feliz e que eu também o faça feliz. Moro na cidade de Aracati no Ceará, onde sou funcionária pública municipal e estadual, trabalho na educaçao. hoje sou gestora de uma escola de Ensino Fundamental, e reafirmo, busco aqui minha alma gêmea, se for me escreva.

    abraços carinhoso a todos

    ResponderExcluir
  2. EU SOU APAIXONADA POR UM GAROTO ELE TAMBEM É APAIXONADO POR MIM,FAZ APENAS 1 ANO QUE NÓS NOS CONHECEMOS, NOS BRIGAMOS MUITO E MESMO ASSIM NÃO CONSIGO ESQUEÇER ELE!!
    EU ACHO QUE O PRIMEIRO AMOR SE FOR VERDADEIRO É PRA SEMPRE!!

    ResponderExcluir
  3. O primeiro amor deve ser msm pra sempre...
    é o que nos pega desprevinido!!!

    ResponderExcluir
  4. Até certo tempo atrás acreditava que minha paixão aos 12/13 anos(amor de infancia) havia sido algo especial, mas depois que o reencontrei um dia desses e nem olhou para minha cara....me senti desprezada(ñ sei expressar o que senti)ele estava acompanhado de sua namorada.
    Tinha um carinho por ele, carinho que nao existe mais. Ele tinha um amor por mim, um amor além de amizade....era um cuidado total. Triste ter tido esse fim. Até hoje nao nos falamos e nem quero mais saber dele,apesar de morarmos perto, nunca mais o encontrei e achei que fosse melhor assim. Estou muito triste com ele, me magoou mesmo. Lembro que naquele dia que ele virou a cara, choreeiii choreii muitoo. Me emociono de lembrar de tudo isso

    ResponderExcluir
  5. Acho que o primeiro amor fica marcado, hoje tenho 20 anos com 14 me apaixonei e fiquei quase uns 2,3 anos na verdade perdi a conta porque ficavamos uns 5 meses ai brigamos, nos ano seguinte ficavamos uma duas semanas, enfim me empolguei hehe até hoje não consigo tirá-lo da minha cabeça e ainda tenho namorado, mas o primeiro é pra sempre

    ResponderExcluir
  6. Eu tinha 6 anos e ela 4 .A gente morava na mesma rua,cada vez que eu olhava ela sentia as pernas tremerem.Quando fiz 8 anos tomei coragem e cheguei nela, ela já sabia que eu amava ela, e ela também me amava...(minhas irmãs que eram amigas dela me contaram).Então namoramos por +ou- uns 2 meses e ai nem lembro porque a gente voltou a ser só amigos... O tempo passou e a gente sempre morou na mesma rua,íamos juntos a escola e tudo mais, mas como as nossas famílias eram muito achegadas, e ela era como filha para meus pais, nao consegui coragem para pedir ela em namoro.Sempre ela estava na minha cabeça..... aqueles cabelos loiros, olhos azuis,, toda noite antes de dormir eu lembrava dela,imaginava a gente vivendo um amor sem barreiras.. Hoje tenho 17 anos,e ela continua sendo a garota dos meus sonhos.. não sei se isso também passa pela cabeça dela..... hoje faz um ano que a gente não se fala mais, nao por motivos de brigas,mas porque ela foi morar com a mãe e padastro em SP e eu continuo em aqui ha 1000 km de distancia.Dizem que se vc amar uma pessoa por mais de 3 anos, é amor eterno, eu amo ela a mais de 12 anos.
    Tive outras namoradas, ela também teve outros, sempre senti aquela pontada de ciúmes, me dava um nó na garganta sempre que via ela beijar outro garoto.........
    Lembro dela com frequencia.. do sorriso,enfim do jeito angelical dela.
    Ja tentei esquecer ela, mas acredite,, vou sofrer de amor a vida inteira..............................

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

REGRAS PARA COMENTÁRIOS:

O espaço de comentários do Blog Amor de Almas é essencialmente livre, mas pode ser moderado, tendo em vista critérios de legalidade e civilidade. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. são aceitos comentários anônimos, contanto que não infrinjam as regras acima.

A REDAÇÃO:

1. não se responsabiliza pelos comentários dos frequentadores do blog;
2. se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas Regras ou às normas legais em vigor;