PORQUE OS AMORES SE PERDEM

O mais difícil de entender quando os amores acabam são os porquês. Por que duas pessoas que se encontraram e se encantaram, viveram um amor que parecia indestrutível, se separam? Por quê o amor geralmente acaba de um lado só e é o outro que fica chorando e querendo entender as razões?

Amores deveriam ser eternos, mas nem sempre são. Costumo comparar casais a chave e fechadura. Nem toda chave abre todas as portas e é necessário encontrar aquela exata que vai se encaixar perfeitamente e tudo será possível.

Mas a gente acredita que cada vez que alguém toca nosso coração e entra, que é definitivo. Um casal que se apaixona de início, sem que um tenha tido o tempo de desnudar o outro nas suas verdades, acredita nessa chama e até briga por ela muitas vezes. E cria-se sonhos, planeja-se o futuro...

Enquanto isso os dias vão passando, toma-se menos cuidado em manter a magia e a parte dos dois que é mais sonhadora começa a sentir-se incomodada.

Dá medo. Medo de ter que olhar bem nos olhos da realidade e dizer: acabou! Medo de ter que se confessar a si próprio que ainda não foi aquela vez! Medo da solidão, de ter que recomeçar... Não são as decepções que matam o amor. Se assim fosse, não existiriam perdões e reconciliações. O que mata o amor é simplesmente a tomada de consciência de que o outro não é o ser sonhado.

É como acordar depois de um longo sono e lindos sonhos. O outro está ali, é a mesma pessoa, mas aquela neblina que dava a impressão de irrealidade já não mais existe.

E isso não acontece da noite para o dia, como se costuma pensar. É algo que vem com os dias, os hábitos, as monotonias. Um percebe, o outro não. Um começa a se sentir angustiado e o outro continua acreditando ou finge que acredita. E quando a gota que faz transbordar o vaso chega é o mundo todo que desmorona.
Porém, tudo não fica definitivamente perdido. Sobra de um lado a dor e os porquês, um resto de amor que teima em ficar no fundo como o vinho envelhecido na garrafa e do outro o coração dividido por não poder reparar erros cometidos e a vontade de continuar em busca de outros horizontes. Sobra para os dois a ternura e a lembrança dos momentos passados juntos.

Por que corta-se relacionamentos, mas não se apaga momentos, mesmo que a gente queira. Vivido é vivido, feliz ou infelizmente. Inútil é querer resgatar um amor que resolveu partir pra outras direções. Quanto mais apega-se, mais ele se afasta.

E quanto mais se afasta, mais dói no outro a incompreensão. É uma roda da qual é difícil de sair. E é uma pena, pois os corações não merecem isso. Quando a questão é amor, não existe justo ou injusto. Existe o que ama e o que não ama mais.

Precisamos aceitar que o outro não tenha os mesmos sentimentos, mesmo se isso nos faz mal, por que se o amor não for livre para se instalar onde realmente deseja, ele perde toda a razão de ser.
Compartilhe no Google Plus

Sobre João Casmurro

Esta não é uma página pessoal. Todo o material é compilado por uma equipe de colaboradores, coordenada pela editora Ana Carolina Grignolli, jornalista especializada em comportamento.
    Deixe seu comentário
    Comente no Facebook

3 comentários :

  1. Maravilhoso!!!!!!
    Realmente, o amor quando acaba, não há vítimas ou culpados. Os vínculos devem ser rompidos sem provocar mais feridas e mágoas no outro. O tempo se encarrega de cicatrizar as feridas de cada um...

    ResponderExcluir
  2. Preciso reler este seu texto, pois se não conseguí-lo absorver vou enlouquecer, enfraquecer ainda mais e morrer. Meu coração se tornou liquefeito, como um suco de beterraba, já não bate, mas centrifuga. Estou preso à beleza de uma loura de olhos azuis, de corpo e rosto perfeitos, alta e imensamente vazia de amor. Verdadeiramente nos conhecemos pouco e nos casamos rápido. Ela precisava sair de casa, do domínio do pai perverso. Eu precisava me iludir que uma linda mulher daria um lindo amor também. Agora não consigo despertar para a minha vida, já tanto peço para Deus vir me salvar, mas não consigo me libertar. Não desisto e ainda continuo confiando do Senhor Deus, sei que Ele me resgatará do abismo que estou mergulhado. Só não entendo por que aconteceu assim.. sinceramente. Vou guardar seu blog comigo, vou ler e reler, preciso ressuscitar.

    ResponderExcluir
  3. E quando vc sente q esse amor não acabou?? Dificil aceitar, pq vc sente (por uma força superior) q ambos continuam ligados... O q fazer?

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

REGRAS PARA COMENTÁRIOS:

O espaço de comentários do Blog Amor de Almas é essencialmente livre, mas pode ser moderado, tendo em vista critérios de legalidade e civilidade. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. são aceitos comentários anônimos, contanto que não infrinjam as regras acima.

A REDAÇÃO:

1. não se responsabiliza pelos comentários dos frequentadores do blog;
2. se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas Regras ou às normas legais em vigor;