No pré-Guerra, a jovem Ethel Ann cativa o coração de três amigos, mas se apaixona por Teddy, com quem se casa antes que da partida ao front. O amado não volta da batalha e ela se conforma em casar com um de seus melhores amigos, com quem tem uma filha. Décadas depois sua secreta história de amor, que parecia enterrada, é revirada, quando a aliança de seu primeiro casamento reaparece, reacendendo suas lembranças. Esta é a síntese do filme "Um Amor Para Toda A Vida", um romance à moda antiga, cheio de segredos, revelações e renúncias, dirigido pelo inglês Richard Attenborough, o mesmo de "Gandhi", vencedor de oito Oscars em 1983.

"Um Amor Para Toda A Vida" conta uma história de amor em dois tempos e lugares. Nos Estados Unidos, no início dos anos de 1990, Ethel Ann (Shirley MacLaine) acaba de enterrar o marido, um veterano de guerra. Como ela não parece muito infeliz com a perda, a filha Marie (Neve Campbell, da trilogia "Pânico") acusa a mãe de sempre ter sido fria. A viúva parece encontrar alguma alegria quando o amigo Jack (Christopher Plummer) chega para o funeral. Intercalando essa história do presente, entram alguns flashbacks mostrando o que aconteceu na década de 1940, quando a jovem Ethel (agora interpretada por Mischa Barton) se casou secretamente com Teddy (Stephen Amell), antes que ele fosse para o front na 2a Guerra Mundial com dois amigos.

Teddy, por sua vez, havia pedido ao amigo Chucky (David Alpay) que cuidasse de Ethel se algo lhe acontecesse. E é exatamente isso que o rapaz fez, resultando num casamento longo e infeliz, que terminou agora, com a morte de Chucky. No tempo presente, Ethel recebe um telefonema de um jovem irlandês chamado Jimmy (Martin McCann), que encontra um anel que pertenceu ao verdadeiro amor de Ethel. Assim, aos poucos, o roteirista Peter Woodward vai entregando os segredos, dores e alegrias de seus personagens.

Ficha Técnica

Título Original: Closing The Ring (Reino Unido/ Canadá/ EUA, 2007) - Direção: Richard Attenborough - Elenco: Shirley MacLaine, Christopher Plummer, Mischa Barton, Gregory Smith, Stephen Amell, Brenda Fricker, Martin McCann, Pete Postlethwaite, John Travers

Compartilhe no Google Plus

Sobre João Casmurro

Esta não é uma página pessoal. Todo o material é compilado por uma equipe de colaboradores, coordenada pela editora Ana Carolina Grignolli, jornalista especializada em comportamento.
    Deixe seu comentário
    Comente no Facebook

5 comentários :

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito desse filme. A forma como a narração é colocada em dois tempos cronológicos diferentes foi uma sacada do Richard Attenborough interessante. Agora o que mais prendeu a minha atenção foi a interpretação de Shirley MacLaine! Dizer que ela é fantástica é redundância e muita gente já diz ou já disse. Contudo, ela dá uma senhora aula de interpretação, com detalhes sutis de uma personagem que a meu ver é bastante difícil de ser interpretada; uma personagem morna que exige muito mais do que qualquer outra. É um bom filme.

    ResponderExcluir
  3. Desculpa ter removido o primeiro comentário. É que cometí alguns errinhos na digitação. Grato pela compreensão.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  5. adorei o filme é´muito romantico

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

REGRAS PARA COMENTÁRIOS:

O espaço de comentários do Blog Amor de Almas é essencialmente livre, mas pode ser moderado, tendo em vista critérios de legalidade e civilidade. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. são aceitos comentários anônimos, contanto que não infrinjam as regras acima.

A REDAÇÃO:

1. não se responsabiliza pelos comentários dos frequentadores do blog;
2. se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas Regras ou às normas legais em vigor;